Você sabe o que interfere na saúde da sua pele? - Graduação Presencial e EAD - Estácio
Fale com a gente: 4020-2471
Segundo o maior estudo já realizado sobre a pele brasileira, enquanto a hidratação da pele é 60% influenciada por características genéticas e 40% por fatores externos, na elasticidade ocorre o inverso. As influências genéticas são responsáveis por apenas 40% da elasticidade do tecido, enquanto os outros 60% são determinados por fatores como hábitos, ambiente e outras características. 
 
A pesquisa avaliou voluntários e concluiu que as características dermatológicas que fazem uma mulher parecer mais velha são: menor hidratação, menor elasticidade e mais rugas periorbitais (os famosos “pés de galinha”). 
 
Realizada em uma parceria entre a Universidade de São Paulo e a empresa Natura, a análise ocorreu ao longo de quatro anos. Os pesquisadores avaliaram a pele e os hábitos de cerca de 1.400 habitantes, da cidade de Baependi, em Minas Gerais. 
 
O município conta com uma ampla distribuição étnica e gênica, semelhante à do Brasil. Além disso, o fato de ser uma cidade pequena possibilitou a análise familiar, o que foi essencial para que os cientistas conseguissem chegar à herdabilidade (cálculo matemático que tenta explicar a influência genética de uma característica) da pele.
 
 
Saiba mais informações através dos conteúdos e das disciplinas ministradas em nossos cursos de Pós em Estética. Conheça! 
*Com base em dados do site da Revista Veja.
 
Segundo o maior estudo já realizado sobre a pele brasileira, enquanto a hidratação da pele é 60% influenciada por características genéticas e 40% por fatores externos, na elasticidade ocorre o inverso. As influências genéticas são responsáveis por apenas 40% da elasticidade do tecido, enquanto os outros 60% são determinados por fatores como hábitos, ambiente e outras características. 
 
A pesquisa avaliou voluntários e concluiu que as características dermatológicas que fazem uma mulher parecer mais velha são: menor hidratação, menor elasticidade e mais rugas periorbitais (os famosos “pés de galinha”). 
 
Realizada em uma parceria entre a Universidade de São Paulo e a empresa Natura, a análise ocorreu ao longo de quatro anos. Os pesquisadores avaliaram a pele e os hábitos de cerca de 1.400 habitantes, da cidade de Baependi, em Minas Gerais. O município conta com uma ampla distribuição étnica e gênica, semelhante à do Brasil. Além disso, o fato de ser uma cidade pequena possibilitou a análise familiar, o que foi essencial para que os cientistas conseguissem chegar à herdabilidade (cálculo matemático que tenta explicar a influência genética de uma característica) da pele.
 
*Com informações do site da Revista Veja. 
Todos os Direitos Reservados - Estácio